Nicolás Otamendi e sua família sofreram um violento assalto em sua casa em Portugal

Nicolau Otamendi foi vítima de um roubo violento em sua casa, onde Ele foi espancado e amarrado. O incidente ocorreu nos primeiros minutos desta segunda-feira, quando o defesa do Benfica regressava da partida frente ao Famalicão.

Segundo informações divulgadas pelo jornal Correio da manhã, os criminosos esperavam pelo defesa da equipa argentina, interceptaram a entrada da sua casa, localizada na Aroeira, Almada. Lá, espancaram-no e colocaram um cinto em seu pescoço para imobilizá-lo. Então eles o levaram para a sala principal, onde eles estavam sua esposa e filhoque entrou em pânico.

Há poucos dias, o ex-Vélez havia publicado uma foto de família na qual compartilhava com seus seguidores a tradição de montar a árvore de Natal.

Embora os ladrões eles conseguiram escapar com uma quantia em dinheiro e vários relógiosa Polícia Judiciária abriu uma sindicância para apurar o ocorrido.

Através de um comunicado, o Benfica confirmou a agressão à residência do jogador e acrescentou que “o atleta e sua família estão bemapesar do enorme desconforto gerado pela situação pela qual passaram.

“O Benfica confirma que Otamendi foi vítima de uma agressão à sua residência durante a madrugada de hoje. O futebolista e a sua família encontram-se bem apesar do desconforto devido à situação vivida. O Benfica apela para que a privacidade do jogador e da sua família seja respeitada por todos os meios de comunicação enquanto as autoridades investigam o ocorrido”.

A polícia já iniciou a investigação do caso, enquanto coloca um segurança particular na porta da casa de Otamendi.

Nicolás Otamendi foi titular no domingo na vitória fora de casa do Benfica, por 4-1, sobre o Famalicão. Jogou os 90 minutos e foi fundamental para conseguir uma vitória que permitiu às águias chegar aos 34 pontos na classificação e estar a quatro do topo, partilhados pelo Porto e Sporting Lisboa.

Aos 33 anos, Otamendi vive sua segunda juventude e forma, junto com Messi, Agüero e Di María, o time da velha guarda. Com a chegada da renovação dos jogadores de futebol, ele é um dos que resistiu às mudanças e também o que mais gerou união nesse novo grupo que se forjou. Sem dúvida, ele é um líder da porta para dentro do vestiário.

O contato e a experiência de Otamendi, com duas Copas do Mundo, duas Eliminatórias e quatro Copas América como titular, são dois intangíveis que seguem em alta e ele é peça-chave naquele triângulo quase inexpugnável que se formou com Cuti Romero e Dibu Martínez com quem teve a oportunidade de conquistar um título com a equipe argentina.

Uma vez os jogadores do Real Madrid o batizaram como “Hostiamendi” por sua dureza para marcar e apesar de ter deixado o Manchester City para ir para Portugal, ele sempre permaneceu em alto nível. Neste último tempo na seleção deixou claro que é dono de uma posição na retaguarda. Seus companheiros de equipe se revezaram: Pezzella, Foyth, Martínez Quarta e Cuti Romero alternaram ao lado dele. Nem mesmo seu perfil, mais desconfortável por ser destro, o tirou do meio, embora de vez em quando apareçam zagueiros canhotos como Funes Mori, Lisandro Martínez ou Palomino. Otamendi é aquele rude guardião da seleção que resiste em campo e dança nas redes sociais

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.