25-13. França, título e grand slam doze anos depois

Redação Desportiva, 19 de março (EFE) .- A França pôs fim a doze anos de seca, atravessando o deserto, e foi proclamada campeã do torneio das Seis Nações, com um grand slam incluído, ao derrotar a Inglaterra por 25-13 em Saint Denis.

A equipe de Fabien Galthie lança um sério alerta para a Copa do Mundo de 2023 em que sediará. Finalizou, com mais uma atuação sólida, o emblemático torneio do Hemisfério Norte e redescobriu a glória que não conquistava desde 2010. Fez isso com seu quarto grand slam sob o nome de Six Nations e o décimo na história do concorrência.

O XV del Gallo precisava vencer para completar sua dobradinha. A vitória da Irlanda sobre a Escócia na segunda partida do ‘super sábado’ forçou os ‘bleus’. Eles não falharam desta vez como fizeram nas edições anteriores.

Nesta ocasião, a França confirmou que tem uma equipe mais madura, mais realizada, mais consistente e mais completa. Ele mostrou isso no outono passado com vitórias completas, incluindo uma sobre a todo-poderosa Nova Zelândia (40-25), e ele o ratificou nestas Seis Nações. As sensações do mundo não podem ser melhores.

Para a partida final, Galthie fez apenas uma mudança em relação aos quinze titulares que venceram o País de Gales no dia anterior. A ala Damian Penaud voltou aos quinze anos depois de perder a viagem a Cardiff devido ao coronavírus.

Eddie Jones, técnico da Inglaterra, trocou praticamente um terço do time por um time em que uma boa atuação era pouco menos do que essencial, mesmo sem ter a opção de lutar pelo título. Questão de orgulho e de recuperar vibrações para o futuro.

Há seis anos a Inglaterra não vencia no Stade de France. Você vai ter que esperar por outro. O XV del Gallo marcou a entrada direta. Ele não queria sustos de última hora novamente. Um pênalti de Melvyn Jaminet e um try de Gael Fickou elevaram o placar para 8 a 0 após um quarto de hora.

A Inglaterra só conseguiu responder com alguns pênaltis convertidos por Marcus Smith. Nem mesmo alguns chutes ruins de Jaminet permitiram que o XV de la Rosa realmente sonhasse. Mesmo um ataque longo e muito dinâmico da França culminou em um ensaio de François Cros que levou o jogo para o intervalo com um claro 18-6.

A Inglaterra fingiu reação após o intervalo. As pupilas de Eddie Jones pareciam outras desde o início. Pressionaram e assumiram o controle até fecharem a distância com um try de Freddie Steward, que com a transformação de Marcus Smith lhes deu esperança (18-13, m.50).

Foi uma miragem. A França recuperou a compostura e se reinstalou no campo rival para limpar o ataque novamente e recuperar a vantagem de doze pontos com um ensaio do capitão Antoine Dupont, mais uma vez magnífico e decisivo (25-13).

Distância imóvel. A França, com a lição bem aprendida, conseguiu parar os últimos ataques da Inglaterra para se sagrar campeã doze anos depois com muitas vitórias.

– Ficha de dados:

25 – França: Melvyn Jaminet; Damian Penaud, Gael Fickou, Jonathan Danty, Gabin Villiere; Romain Ntamack, Antoine Dupont; Gregory Alldritt, Anthony Jelonch, François Cros; Paul Willemse, Cameron Woki; Uini Atonio, Julien Marchand, Cyril Baille. También jugaron Peato Mauvaka, Jean-Baptiste Gros, Romain Taofifenua, Mohamed Haouas, Thibaud Flament, Dylan Cretin, Maxime Lucu e Thomas Ramos.

13 – Inglaterra: George Furbank; Freddie Steward, Joe Marchant, Henry Slade, Jack Nowell; Marcus Smith, Ben Youngs; Sam Simmonds, Sam Underhill, Courtney Lawes; Nick Isiekwe, Maro Itoje; Will Stuart, Jamie George e Ellis Genge. Também estão participando de Elliot Daly, Kyle Sinckler, Ollie Chessum, Alex Dombrandt, Joe Marler, Harry Randall e George Ford.

Anotações:

França: 3 ensaios (Gael Fickou, m.15; Francois Cros, m.40; Antoine Dupont, m.61), 2 transformações (Melvyn Jaminet, m.41 +, 62), 2 golpes de castigo (Melvyn Jaminet, m. .9, 24)

Inglaterra: 1 try (Freddie Steward, m.48), 1 conversão (Marcus Smith, m.50), 2 pênaltis Marcus Smith (m.20, 30)

Árbitro: Mike Adamson (SCO).

Incidentes: Jogo do último dia do Torneio das Seis Nações disputado no Stade France.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.