Seleção francesa vence sem brilhar em Portugal e apura-se para a segunda fase de qualificação para o Mundial de 2023

Francisco ainda no encontro

Em cópia carbono do primeiro trimestre do Dijon, a Seleção empatou o jogo (17-16, 10º), graças em particular ao bom jogo de passes dos interiores Sasa Borovjnak e Miguel Queiroz na raquete. Mais atléticos que seus adversários, os Blues começaram a impor sua defesa sufocante para criar a lacuna no segundo quarto (26-18, 14). Mas as dificuldades ofensivas dos Blues – como este 6/23 de três pontos – permitiram aos portugueses manter o contacto.

Frustrados, Louis Labeyrie e Isaïa Cordinier foram punidos com duas faltas antidesportivas por impedirem os contra-ataques lusitanos no final da primeira parte. Insatisfeito com os primeiros 20 minutos, Vincent Collet lançou Amath Mbaye (16 pontos), Axel Julien (5 pontos, 5 assistências) e Terry Tarpey em seus cinco principais para o segundo ato.

Vinte minutos ainda laboriosos contra os portugueses, empurrados pelo público de Matosinhos. Enquanto Isaïa Cordinier era observada de perto, foi um novo chefe do grupo da França que permitiu que a equipe dos Blues respirasse fundo.

Para sua segunda partida internacional com os profissionais, Sylvain Francisco brilhou. O líder de bolso de Manresa retornou um primeiro tiro premiado na campainha (49-43, 30). Então ele novamente admirou seu endereço de longa distância com duas “cordas” no último quarto para finalmente permitir que a equipe francesa se separasse (57-43, 33).

A caminho da segunda fase de grupos

O português voltou aos sete pontos, mas sem preocupar seriamente a seleção francesa. Vincent Collet ainda aproveitou para lançar Hugo Benitez a 30 segundos da campainha. Convocado para compensar a lesão de David Michineau, o líder do Bourg (21) comemorou sua primeira capa com os Blues com um passe decisivo para uma enterrada de Isaïa Cordinier.

Com esta quarta vitória em quatro jogos, a seleção francesa mantém a liderança do Grupo E. Os Blues já estão garantidos na segunda fase das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2023. Mas cada vitória conta e será necessário vencer a Hungria e, acima de tudo, Montenegro em julho para enfrentar melhor o restante da qualificação. A França deve encontrar a Lituânia cruzando com o grupo F.

Marco Soares

"Leitor. Defensor da comida. Fanático por álcool. Fã incondicional de café. Empresário premiado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *