Santa Isabel de Portugal

Enquanto os cheiros de um jardim permeavam o ambiente, de costas para o exuberante gesso que cobria a arcada de origem muçulmana, entre a lagoa e a sala do trono do grande al-Muqtadir, naquele sonhador pátio da Aljafería, hoje chamado de “Pátio de Santa Isabel”; em 1271 nasceu a infanta Isabel de Aragão.

Seu nome foi colocado em um ato de estima para com sua tia-avó Elizabeth da Hungria. Ambos foram santificados e é difícil discernir o que é verdade e o que é fábula em sua história, pois suas vidas e milagres são muito semelhantes. Às vezes não sabemos até que ponto é assim porque nossa infanta seguiu o exemplo de seu parente tocaya ou porque ao longo dos séculos aqueles que escreveram sobre a vida de ambos os santos, tendo o mesmo nome, confundiram e misturaram suas biografias.

Casamento com Dionísio I de Portugal

Em 11 de fevereiro de 1280, foi acordado em Barcelona o casamento desta princesa com o violento rei Dionísio I de Portugal. É por isso que ela é conhecida aqui como Santa Isabel de Portugal. Não nos deve surpreender que no nosso país vizinho o chamem Santa Isabel de Aragãoporque os santos têm dois países, um onde nascem e outro onde morrem, e é muito comum em diferentes cidades do país vizinho como Porto e Coimbra encontrar referências a ele e até ao seu nobre brasão, em que as barras de Aragão eram naturalmente.

Ele ordenou a construção de hospitais, escolas gratuitas e abrigos para órfãos, além de um bom número de conventos

Ela era a mãe do futuro Afonso IV de Portugal e da infanta Constanza, que se casou com Fernando IV de Castela, sendo este último a mãe e regente de Afonso XI de Castela. Isabel dedicou-se a cuidar de doentes, idosos e mendigos, para quem ela mesma fazia roupas. Ela ordenou a construção de hospitais, escolas gratuitas e abrigos para órfãos, além de um bom número de conventos. Ela até distribuiu parte do tesouro real entre os pobres.

Reza a tradição que a certa altura foi surpreendida pelo marido Dionis que levava pão no avental aos pobres e que este pão, em meados de Janeiro quando nada tinha florescido, se transformou em rosas. Outras versões nos dizem que o que Isabel levava na roupa era dinheiro do tesouro real, mas quando o marido, o rei, a obrigou a mostrá-lo, essas moedas também se transformaram em rosas. A partir de então, seu marido permitiu que ele continuasse seu trabalho de caridade. O mesmo milagre foi atribuído à sua tia-avó Santa Isabel da Hungria, a Santa Casilda de Toledo e para San Diego de Alcalá.

Nas costas de uma mula, ela rezou no campo de batalha entre os exércitos de seu marido e seu filho.

O curioso é que em geral essa história é bastante conhecida, assim como sua canonização como santa no século XVII, mas por outro lado, a grande importância que Isabel teve na política de seu tempo, na qual ela veio para intervir em um ativo. Através de seu marido ele veio a reconciliar seu genro Fernando IV de Castela com seu irmão Jaime II de Aragão na paz de Campillo, adquirindo as terras de Alicante pela Coroa de Aragão. nas costas de uma mula ela interpôs orando no campo de batalha entre os exércitos de seu marido e seu filho, que lutavam pelo trono, interrompendo assim o combate.

Peregrinação a Santiago

Depois de enviuvar, foi para Santiago de Compostela em peregrinação em 1325. Ao regressar entrou no convento de Santa Clara-a-Velah de Coimbra que ela própria fundou e que ainda hoje se pode visitar, ou pelo menos as ruínas que ficaram, pois a cidade também foi muito afectada pelo famoso terramoto que devastou Lisboa em 1755. objetos cerâmicos com o brasão da família Aragão, a família na qual Isabel nasceu. Ela não descansou por muito tempo, porque teve que mediar novamente entre parentes, desta vez entre seu filho Afonso IV de Portugal e seu neto Afonso XI de Castelamovendo-se mais uma vez para o campo de batalha em Castela. Ele conseguiu o que queria ele deveria evitar conflitos entre seus parentes, mas na viagem de volta morreu na cidade portuguesa de Estremoz em 4 de julho de 1336.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.