Route du rhum: notícias das frentes

Duas testas de depressões, fraturas e um nó no estômago. A primeira semana de corridas não é apenas um prazer para o capitão reunionês Victor Jost, que parece estar vendo o bom tempo amanhecer após a tempestade.

Velejar. Charles Caudrelier acaba de quebrar os recordes a bordo de seu maxi-trimarã Gitana, do qual Morgan Lagravière, da Ilha da Reunião, foi nomeado capitão substituto da regata, ao chegar a Pointe-à-Pitre, em Guadalupe, em menos de seis dias e 20 horas. Uma performance de voo de topo na classe Ultim, gigantes dos mares capazes de sobrevoar o Atlântico em menos de uma semana.

E quanto a um Grand Raid, depois da chegada das estrelas, é no pelotão e no corpo da frota que os 116 velejadores ainda em disputa se juntam o mais rapidamente possível ao Alizées que os levará a velocidades mais razoáveis . para as Índias Ocidentais.

O caso de Victor Jost, que dispensa maiores apresentações, e que, entre abandonos e estragos causados ​​pelos concorrentes, mantém o rumo depois de ter ele próprio passado por algumas zonas de turbulência.

Victor Jost no CRC, no sexto dia de navegação (Foto DR)

“Segurou”

“No pior da depressão, confesso que estava bastante estressado, tinha acabado de saber que um amigo havia desmamado (no 115, barco em que naveguei no ano passado), e não pensei nisso. .. Me assustei um pouco então me tranquei dentro com meu TPS perto de mim (traje de sobrevivência) por precaução… e deixei o tempo passar…”, relatou a jovem engenheira no sexto dia de sua partida, ao largo da costa portuguesa. “Tem que aguentar, tem que aguentar…. E segurou! “.

Para que conste, e devido às condições climatéricas, o arranque da Route du Rhum foi adiado para esta edição de 2022. incluindo 13 aposentadorias dos 55 titulares da categoria classe 40 em que Victor Jost compete no CRC (Fundo Complementar de Reunião).

Com uma opção sul mais segura, o nativo de Reunion belisca lugares e mantém seu rumo, classificando-se na 31ª posição.

Leitura e música

“Antes de vos deixar, dou-vos uma breve atualização de hoje (terça-feira)”, escreveu o velejador no seu diário de bordo sobre as últimas notícias. “Esta manhã o vento ainda estava bastante forte, mas agora está calmo. Fiz um pequeno desvio para oeste para aproveitar uma melhor orientação do vento, espero que compense”. Condições mais serenas que lhe permitiram resolver algumas avarias a bordo, e descansar um pouco. “Eu leio muito e ouço música. Mas acima de tudo duas grandes e boas notícias:

– Tirei uma camada de roupa, chega de suéter. A temperatura pode estar subindo?

– Fiz minha primeira refeição fora. É uma loucura que desde o início fica tão molhado lá fora que fico escondido para comer. Finalmente uma refeição ao ar livre, sabe bem”.

Com 16 a 20 dias no mar programados para completar a travessia oceânica entre Saint-Malo e Pointe-à-Pitre, Victor Jost está agora enfrentando o mar aberto enquanto se afasta das costas europeia e norte-americana. Africano. Desejamos-lhe boa sorte!

JJ

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *