Qualificação Qatar 2022: Portugal cai no play-off | esporte-

Nove dos integrantes da próxima Copa do Mundo já são conhecidos. Espanha, Croácia e Sérvia juntaram-se a França, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Brasil e o organizador Qatar no domingo. A Europa tem que dividir mais três ingressos diretos entre esta segunda e terça-feira e completar um play-off envolvendo 12 equipes e distribuindo mais três passes.

1

Ivo Grbic, Juranovic (Josip Brekalo, min. 74), Lovren, Borna Sosa, Gvardiol, Brozovic, Pasalic (Livaja, min. 74), Modric, Nikola Vlasic (Petkovic, min. 57), Kramaric (Josip Stanisic, min. 85) e Perisic

0

Rússia

Safonov, Dzhikiya, Diveev, Karavaev, Kudryashov, Dimitri Barinov, Aleksandr Golovin (Dmitriy Chistyakov, min. 56), Fomin (Danil Glebov, min. 79), Zelimkhan Bakaev (Mostovoy, min. 77), Ionov (Zobnin, min. 56) e Fedor Smolov (Anton Zabolotny, min. 56)

metas 1-0 minutos. 80: Kudryashov (pp).

cartões amarelos Aleksandr Golovin (min. 50), Fedor Smolov (min. 54), Livaja (min. 88) e Ivo Grbic (min. 92)

Portugal saiu pela culatra em Lisboa, onde o empate valeu a pena, mas caiu para a Sérvia (1-2), apesar de ter saído dois minutos depois no jogo numa daquelas jogadas onde o futebol de hoje tem precisão cirúrgica. E um pouco de compreensão do jogo para os goleiros, para não prendê-los. O goleiro Rajkovic procurou Gudelj, do Sevilla, para sair com a bola jogada por trás, mas Bernardo Silva foi ganancioso ali e acertou apenas o suficiente para afastar a bola de Gudelj e servir Renato Sanches, que também fez um passe. O ex-menino de ouro do futebol português mandou a bola para a rede e a Sérvia estava pronta para ir contra a corrente. Ele precisava de pelo menos dois gols para se classificar para a Copa do Mundo.

Ele os procurou sem medo. Vlahovic acertou a trave quando o jogo tinha menos de quinze minutos. A Sérvia levantou linhas e semeou pânico em um rival muito morno, sem soluções sob pressão. O golo de Tadic não surpreendeu, ajudado pela inexperiência de Rui Patricio no bloqueio. A meio da primeira parte foi o sérvio. Portugal fez as pazes após o intervalo, mas não parou no fio, sem páreo para Cristiano Ronaldo, acabou dominando e caiu com um gol de Mitrovic, um cabeceamento ao poste mais distante, quando o jogo foi para a prorrogação .

Enquanto isso, em Split, toda a tensão veio à tona em uma final épica, depois de uma partida disputada sob uma cortina de água e em um campo inundado. Croácia e Rússia disputaram uma vaga na próxima Copa do Mundo. Os Balcãs venceram (1-0) em meio a uma agonia encharcada descrita na atitude pós-vitória. Luka Modric, que serviu como capitão-general, caiu de joelhos e levantou os braços para o céu antes de se jogar sobre seus companheiros de equipe. Aos 36 anos, ele se classificou para o Catar. Perto dele, encostado em um canto do sofá, o treinador, Zlatko Dalic, chorava como uma criança. Ele nem parecia tão animado quando seu time se classificou para a final da última Copa do Mundo.

A Croácia perdeu apenas uma Copa do Mundo desde que começou a jogar como estado independente em 1992. O Catar será a sexta experiência de um país que só ultrapassou a África do Sul em 2010 de branco. Mas sofreu uma provação contra a Rússia, que caiu com um gol contra apenas 10 minutos antes do final, um acidente que define a imprevisibilidade do futebol. A Croácia os subjugou, os trancou e lhes deu uma surra monumental, não tanto como um jogo porque a lama não permitia ostentação, mas de intensidade e poder.

A Rússia estava em apuros, dominada em todos os sentidos, mas aliviada pela incapacidade de seu rival de encontrar posições claras. Até 20 tiros foram conectados pelos croatas antes que a força e o moral começassem a vacilar. E foi lá, enquanto o fogo cruzado continuava do flanco para a área, o momento em que um centro que caminhava Tyrians e Trojans atingiu Kudryashov, um habilidoso defensor siberiano, na canela. Faltando 10 minutos para o final do jogo, a bola foi para a rede. Os croatas levaram alguns segundos para sair da confusão. Um gol contra os classificou para a Copa do Mundo. A Rússia vai jogar o “play-off”, assim como a Macedónia do Norte, que garantiu o seu lugar depois de derrotar a Islândia (3-1) e deixar para trás a Roménia. A estrada para o Qatar continua a trazer emoções.

Você pode acompanhar o EL PAÍS DEPORTES em o Facebook e Twitterou cadastre-se aqui para receber nosso boletim semanal

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.