Problemas climáticos vistos através da arte

Na intersecção da arte e das questões levantadas pela produção de energia e seu uso na perspectiva da transição ecológica, o coletivo Berru na capela do Oratório (14, rue de l’Oratoire) apresenta a exposição “Transforming Energy”.

Trabalho inédito sobre questões de energia oceânica

O coletivo Berru, fundado no Porto em 2015, é composto por Bernardo Bordalo, Rui Nó e Sérgio Coutinho. Esses artistas estão interessados ​​nas sinergias e desafios colocados pela crescente interação entre os mundos biológico e tecnológico.

Seus trabalhos combinam sistemas vivos e não vivos para revelar sua complexidade e especular sobre suas possíveis colaborações para criar sistemas sustentáveis.

Para a temporada França-Portugal 2022, as associações Videoformes, Culturgest (Portugal) e Coal (França) convidaram o coletivo Berru a apresentar um novo trabalho sobre as questões energéticas do oceano. A Coal Association promove e apoia o surgimento de uma nova cultura de ecologia e natureza.

Com “Transforming Energy”, Berru investiga técnicas de captação de energias de baixa frequência, como o movimento do mar e a forma de armazená-las em baterias biológicas.

Uma nova cultura ecológica

A instalação mergulha o espectador em um universo subaquático, onde a energia flui e as vibrações da matéria ressoam. Esse equilíbrio instável em movimento perpétuo traz consigo a memória da natureza ágil e evolutiva dos ecossistemas. Ele também nos pergunta sobre o verdadeiro custo da energia e sua finitude.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.