Preso rabino que certificou Abramovich para obter a nacionalidade portuguesa

Lisboa, 11 de março A Polícia Judiciária (PJ) de Portugal prendeu o rabino da Comunidade Israelita do Porto, Daniel Litvak, entidade que certificou a descendência sefardita do oligarca russo Roman Abramovich para que pudesse obter a nacionalidade portuguesa, noticia a comunicação social local. Litvak foi preso na quinta-feira e sua prisão pode estar relacionada a uma investigação sobre supostas irregularidades na concessão de certificados para judeus sefarditas. Um dos cidadãos que obteve um destes certificados e posteriormente o passaporte português foi Abramovich, proprietário do clube de futebol inglês Chelsea, cujo processo de obtenção da nacionalidade suscitou críticas e suspeitas em Portugal. A própria Procuradoria portuguesa informou em janeiro que havia aberto uma investigação sobre a concessão da nacionalidade ao milionário russo. Abramovich conseguiu naturalizar portugueses em abril do ano passado graças à Lei da Nacionalidade Portuguesa, que reconhece os descendentes de judeus sefarditas que viveram na Península Ibérica até serem expulsos no final do século XV. Após ouvir a notícia, ativistas e comentaristas criticaram a concessão da nacionalidade a Abramovich e o adversário russo Alexei Navalni chegou a acusar Portugal de receber propina para naturalizar o empresário. O Instituto dos Registos e Notariado de Portugal também abriu um inquérito interno sobre este caso. Abramovich, 55 anos, nascido na antiga União Soviética, tem atualmente quatro nacionalidades: russa, israelense, lituana e portuguesa. A lei que permite que os descendentes de judeus sefarditas se tornem nacionais portugueses foi aprovada em 2015 e desde então mais de 30 mil pessoas recorreram a ela para ter passaporte português. EFE pfm/pddp

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.