Portugal responde bloqueando a Ryanair na sua rota para Marrocos | Notícias de Turismo

O Ministério dos Transportes português e a autoridade aeronáutica bloquearam a possibilidade de a Ryanair oferecer três rotas de Portugal para Marrocos, cancelando os voos de cerca de 3.000 passageiros que tiveram de sair de Lisboa.

A Ryanair disse em comunicado que esta decisão portuguesa viola o acordo de céu aberto assinado entre Marrocos e a União Europeia há mais de três anos.

A inusitada decisão portuguesa surge depois de a companhia aérea irlandesa acusar o governo de Lisboa de proteger a companhia aérea pública Tap ao recusar os slots da Ryanair a operar no aeroporto da capital. Os voos cancelados não têm nada a ver com esses slots e foram programados normalmente.

Os voos cancelados -e vendidos pela empresa- são os que cobrem as rotas de Lisboa a Agadir, de Lisboa a Fez e de Lisboa a Marraquexe. Os serviços afetados são os da primeira das rotas de 31 de outubro, 1, 3 e 5 de novembro, bem como as de 31 de outubro e 4 de novembro para Fez e 1 e 4 para Marrakech.

O Governo português não tinha respondido à altura da redacção desta nota.

O diretor comercial da Ryanair em Portugal disse à imprensa que “é inacreditável que o governo português tenha feito cumprir estes cancelamentos de voos. A Ryanair já tinha os direitos de tráfego para estes voos, que já fazemos há três anos. Não há razão para esta medida que seja claramente contrária à lei europeia.”

É muito provável que a Ryanair entre com uma ação judicial pelos danos causados ​​e, se não houver dados ocultos e as coisas forem como a companhia aérea explicou, há uma boa chance de os tribunais concordarem com eles.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.