Portugal: Negociação para a transferência do terminal ferroviário da Guarda

Por Portal EditorialPortuario.cl

@PortalPortuario


De acordo com um decreto-lei publicado na sexta-feira, 4 de março, no Jornal da República (DR)a gestão do terminal ferroviário de mercadorias em Guarda irá de Infraestruturas de Portugal (IP) para Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Sob esse contexto, o Presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costaconsiderou que a transferência da gestão do terminal ferroviário para a APDL é “mais um passo para a realização do porto seco da Guarda e nada fará retroceder o projeto”.

“E agora, é hora de continuar com os passos seguintes para que o porto seco comece a funcionar de forma eficaz, a dar a volta à economia, a criar riqueza, a criar emprego, para que as empresas possam (…) realizar as suas operações de importação , exportação, agregação, desagregação de carga, alfândega, no futuro. Esse é o caminho que devemos seguir, cada vez mais”, afirmou.

O decreto-lei estabelece a adjudicação de bens do domínio público ferroviário – o terminal ferroviário de mercadorias da Guarda – à APDL, com a devida salvaguarda de todos os direitos e deveres contratuais e legais assumidos até à data pela IP, que também serão transferidos.

As transferências de propriedade e poderes de campo não entrarão em vigor até 1º de setembro de 2022.


Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *