Portugal e Eslovénia defendem “diplomacia” no conflito Rússia-Ucrânia

Lisboa, 14 fev O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Presidente esloveno, Borut Pahor, defenderam esta segunda-feira em Lisboa “o caminho da diplomacia” para reduzir as tensões entre a Ucrânia e a Rússia, numa mensagem partilhada para enfrentar “um situação importante para a Europa e para o mundo”. “Tem de haver espaço para a diplomacia”, insistiu segunda-feira Marcelo de Sousa em declarações a Pahor, que iniciou hoje uma visita oficial a Portugal que termina amanhã. “O objetivo é, naturalmente, construir a paz, criar pontes para a paz, manter o diálogo e reforçar o que pode ser unido”, insistiu Rebelo de Sousa. O presidente português evitou comentar o possível envio de tropas portuguesas para a zona de conflito, mas salientou que Portugal “cumpriu as suas obrigações internacionais”. De sua parte, Pahor admitiu que há “muita preocupação com as tensões no nordeste da Europa”, embora também confiasse no poder da diplomacia. “Acredito no poder que temos de encontrar um caminho diplomático para trazer paz e esperança, para que possamos resolver todos os conflitos pacificamente”, defendeu. A tensão entre a Ucrânia e a Rússia aumentou nas últimas semanas após o envio de milhares de soldados russos na fronteira com o país vizinho. Os Estados Unidos alertaram na sexta-feira que há uma “clara possibilidade” de que a Rússia ataque a Ucrânia nesta semana. A Rússia insiste que não quer uma guerra com a Ucrânia, mas exige garantias de segurança do Ocidente para impedir que a Otan se expanda mais para o leste e implante armas ofensivas perto das fronteiras da Rússia. EFE cch/mar/anúncios (foto) (vídeo)

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.