Pedro I de Portugal | Perfil

O novo treinador de Talleres nasceu em Portugal e foi baptizado com o nome de cinco monarcas que reinaram no seu país. Seu nome é Pedro, seu lugar no clube do bairro Jardín não será o trono, mas o banco, e seu sobrenome, Caixinha, ficará em segundo plano, pelo menos até que os repórteres o aprendam de cor ou os torcedores o digam. encontrar uma rima

Andrés Fassi fez de novo. Ele surpreendeu moradores e estranhos tirando da manga um daqueles nomes que você tem que pesquisar no Google para incluir no radar. O sucessor de Ángel Guillermo Hoyos, o chefe do ‘T’ o viu no futebol mexicano, onde o homem conquistou três títulos com o Santos Laguna (lá teve Carlos Izquierdoz e Diego “Pulpo” González do Boca entre seus treinadores) e dois outras voltas olímpicas com o Cruz Azul.

O “coberto” tem 51 anos e um currículo de quase 350 jogos como treinador que começou a escrever em 1998, ano da histórica ascensão de Talleres contra o Belgrano, na final que o Albiazul venceu nos pênaltis com o mesmo visual – jaqueta com bastões e números vermelhos – que ele usa atualmente.

Portugal, Escócia, Qatar, Arábia Saudita, Grécia e Roménia são outros países onde Pedro Miguel Faria Caixinha, nascido na cidade de Beja, a 9.600 quilómetros de Córdoba, acumulou experiência antes de se tornar o primeiro treinador português da história do futebol. argentino.

GLOBETROTTER. A novíssima DT albiazul trabalhou em sete países. Sua última experiência, no Santos Laguna, no México, durou oito jogos. /// FOTO: PERFIL CEDOC

Sem rodeios

O croata Mirko Jozic no Newell’s (1998) e o espanhol Ramón Cabrero no Lanús (2005-2008) são os mais recentes europeus a dirigir na Primeira Divisão da AFA. No futebol de Córdoba, o Instituto foi pioneiro na busca de um estrategista do Velho Mundo: em 1948 “la Gloria” confiou o mergulhador a Jozsef “José” Korein, um húngaro que duas décadas antes havia vindo ao país para enfrentar o Racing de Avellaneda e que também atuou como árbitro.

Caixinha também foi goleiro em seus tempos de futebol. Reconhece-se como um apaixonado pelas touradas, actividade a que se dedicou na juventude e os seus comentários em recentes emissões televisivas, e da intimidade albiazul se encarregaram de difundir a sua fama de tipo frontal e poucas pulgas. A última vez que uma direção de Oficinas procurou um piloto de “mão firme” foi em março de 2003, quando exportou um veterano Luis Cubilla. A incursão do uruguaio no bairro de Jardín sobreviveu a apenas oito jogos e deixou muitas anedotas – algumas engraçadas e outras inusitadas – de suas relações com jogadores e jornalistas.

Oito capítulos também duraram o último ciclo de trabalho da Caixinha. Entre 2 de dezembro de 2021 e 23 de fevereiro de 2022, conquistou uma vitória, dois empates e cinco derrotas que deixaram o Santos Laguna em último lugar na Liga MX e fora da Concachampions. Os donos do clube de Torreón resolveram sua demissão após uma vitória por 0-3 sobre o Montreal FC, no Canadá.

Você é o Pedro

A Caixinha é a pedra sobre a qual a Fassi procura construir um novo processo de sucesso no desporto, depois do slam do ‘Cacique’ Medina e da falhada experiência Hoyos II. É sua vez de assumir o comando com duas competições em andamento (Copa da Liga e Copa Argentina), e às vésperas do início da Libertadores 2022, em que Talleres dividirá o Grupo H com Flamengo do Brasil, Universidad Católica de Chile e Sporting Cristal Do Peru .

Não é por acaso que o supremo albiazul lhe confiou as chaves do reino do balneário: o português já tem experiência nas mais topo da América do Sul. Ele dirigiu o Santos Laguna na edição de 2014, na qual seu time perdeu nas duas vezes que visitou a Argentina. Ele caiu para o Arsenal (0-3) na fase de grupos e para o Lanús (1-2) nas oitavas de final.

O homem de sobrenome difícil diz se identificar com a ideologia de José Mourinho, técnico da Roma da Itália, a quem costuma se referir como “meu amigo”, e também tem afinidade com José Peseiro, antecessor de José Pekerman na seleção venezuelana, de quem foi ajudante-de-campo. Nessa função, terá agora ao seu lado Javier Gandolfi, que liderou Talleres nos últimos dois jogos com uma eficiência nunca vista na era Fassi: 100%.

Caixa de panfletosRECEBER. Na tarde desta sexta-feira, Talleres anunciou a contratação de Caixinha como novo treinador. FOTO: WORKSHOPS DE IMPRENSA

O jogo dos milhões

A participação na Copa Libertadores de 2022 garante a Talleres uma receita de US$ 1,8 milhão. O clube de Albiazul recebe US$ 600 mil por cada uma das partidas que a equipe disputa em casa na fase de grupos: contra Universidad Católica (1º encontro), Sporting Cristal (3º) e Flamengo (4º). Se ficar entre os dois primeiros, o ‘T’ somará US$ 1.050.000 por jogar nas oitavas de final. Se ficar em terceiro lugar, seguirá para a Copa Sul-Americana e receberá um bônus de US$ 500.000 garantido. Os preços dos ingressos para assistir aos três jogos no Kempes variam entre US$ 1.200 e US$ 54.000, dependendo dos locais e das diferentes categorias (fãs, sócios e pack com desconto adicional para quem estiver com o cartão em dia).

você pode gostar

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.