o desapontado zarpou para a Espanha, Bélgica ou Romênia

TESTEMUNHOS – Fora da França, quem reprovar no Passe poderá continuar em 2e ano de licença e tente a sorte novamente. Mas poucos acreditam.

Léna, 18 anos, sonhava com isso desde pequena. “Meu avô era médico. Ele sempre me contou suas histórias de guarda“, diz este aluno em Lyon in Pass (curso específico de acesso à saúde). Uma formação que, desde setembro, substituiu os Paces. Composto por um bacharel em saúde e um bacharel em outra disciplina – da biologia à matemática, via direito ou Staps – o Passe deve abrir caminho para o recrutamento de diversos perfis. Uma espécie de licença dupla. No papel, permite não deixar os alunos no chão, permitindo que continuem – em caso de reprovação no concurso do primeiro ano – em 2e ano de habilitação no menor escolhido, e depois tentar novamente a sorte na saúde.

«Com a reforma dos estudos sanitários, a crise sanitária e a falta de médicos, nos disseram que as universidades iam abrir as comportas das vagas, que era o ano ideal para experimentar a medicinaexplica a jovem. Também pensamos que seriam…

Este artigo é apenas para assinantes. Você tem 75% para descobrir.

Cultivar sua liberdade é cultivar sua curiosidade.

Assinatura sem compromisso

Já inscrevi? Conecte-se

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.