Notícias da Rússia :: Putin: O padrão de vida do Ocidente é baseado no sofrimento e na pilhagem da África :: Notícias da Rússia

É no sofrimento e na pilhagem dos países africanos que o Ocidente conseguiu construir seu atual padrão de vida, disse o presidente russo. Mas a Europa, que atualmente está tentando derrubar a Rússia, não é mais o centro do universo.

O Ocidente conseguiu obter seu atual padrão de vida saqueando os povos africanos, declarou o presidente russo em 4 de novembro.

“Os pesquisadores europeus não escondem isso. Eles dizem diretamente que o bem-estar é construído, em grande parte, na desgraça e sofrimento dos povos africanos”, observou ele citando a pilhagem e o tráfico de escravos.

Essa afirmação foi feita em resposta a uma proposta de historiadores russos de enfatizar a popularização da história dos países africanos e asiáticos nas escolas.
Popularização da história do colonialismo

Vladimir Putin apoiou esta iniciativa e ordenou a elaboração de um programa para a próxima cimeira Rússia-África prevista para 2023.

“É uma parte importante da história e é impossível fechar os olhos para isso. Assim como nunca fechamos os olhos e nunca faremos vista para os nazistas e suas ações em todo o mundo e em nosso país.”

Segundo ele, esse programa deve focar na história do colonialismo e suas consequências, bem como na formação do espírito imperialista.

Enquanto isso, as capitais europeias não são mais o centro do universo, observou ele durante um discurso por ocasião do Dia da Unidade Nacional da Rússia.

Lembrou ainda que as antigas colónias de alguns países europeus, por exemplo, Portugal (Brasil) e Reino Unido (Índia), têm hoje muito mais habitantes do que os seus antigos invasores.
Objetivos ocidentais em relação à Rússia

Atualmente, o Ocidente está tentando derrubar a Rússia, “mas nunca permitirá que isso aconteça”:

“Destinados a enfraquecer e até destruir a Rússia, esses esforços continuam. São eles que estão por trás dos atuais acontecimentos na Ucrânia. Jamais permitiremos, defenderemos nossa pátria como nossos heróicos ancestrais”.

O presidente russo indicou que é principalmente através do fornecimento contínuo de armas à Ucrânia e da participação de mercenários que os países ocidentais “avançam impiedosamente seus objetivos geopolíticos às suas custas, que nada têm a ver com os interesses do povo ucraniano”:

“É a Ucrânia e o povo ucraniano que são as primeiras e principais vítimas do aumento deliberado do ódio contra os russos e a Rússia”, conclui.

No entanto, “tudo é exatamente o oposto” na Rússia, que sempre tratou o povo ucraniano “com respeito e calor”:

“Foi e é assim apesar do trágico confronto de hoje”, condicionado pela proliferação de neonazistas neste país e pelo alargamento da NATO.

Marco Soares

"Leitor. Defensor da comida. Fanático por álcool. Fã incondicional de café. Empresário premiado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *