Itália perde novamente a Copa do Mundo, Portugal sofre contra a Turquia

Quatro anos depois de ter ficado de fora da Rússia-2018, a Itália ficou de fora do segundo Mundial consecutivo ao perder esta quinta-feira no playoff frente à Macedónia do Norte (0-1), que na terça-feira jogará a passagem do Mundial no Porto contra um Portugal que sofreu para derrotar a Turquia por 3-1.

Menos de um ano depois de vencer a Eurocopa, a Itália, tetracampeã mundial, volta a ficar de fora do maior evento do futebol mundial, depois de ter disputado todas as edições ininterruptamente desde 1962.

“Em julho passado foi o melhor que já vivi em nível profissional, esta é a maior decepção”, disse o técnico Roberto Mancini, acrescentando que é muito cedo para falar sobre seu futuro.

“Infelizmente, isso é futebol e coisas incríveis acontecem no futebol, certos jogos são assim, tivemos muitas oportunidades”, lamentou.

“Ganhamos ao marcar um golo com apenas dois remates à baliza… É uma vitória italiana”, disse o seu homólogo macedónio, Bobi Milevski, eufórico.

Depois de dominar toda a partida e ter muitas chances de gol, mas sem mirar contra o gol rival, Aleksandar Trajkovski marcou o único gol da partida com um chute forte, encerrando as chances de classificação da Itália (90+2).

Curiosamente, Trajkovski já foi o jogador que mandou a Itália para os playoffs da Copa do Mundo de 2018 (que perdeu para a Suécia) ao marcar o gol do empate em 1 a 1 na última partida da fase classificatória.

Com o seu golo, o ex-jogador do Maiorca permite ao seu país sonhar pela primeira vez a qualificação para o Mundial, embora para isso tenha de vencer na próxima terça-feira no Porto frente a um Portugal que esta quinta-feira, no mesmo palco do final, sofreu para vencer a Turquia por 3-1.

– Yilmaz perde o pênalti por 2-2 –

O português dominou o jogo e marcou por Otavio (15), Diogo Jota (42) e Matheus Nunes (90+4), mas sofreu contra uma Turquia que marcou por Burak Yilmaz (65), que falhou um pênalti que poderia ter significado o provisório 2-2 (85).

“Tivemos o jogo sob controle, tivemos várias chances de fazer 3 a 0, mas reduzimos um pouco a intensidade do jogo e o futebol tem essas coisas (…) Tudo poderia ter sido mais difícil com o pênalti”, ele admitiu após o jogo. O técnico português Fernando Santos.

Campeão europeu em 2016 (seu único grande título), Portugal aspira a disputar o seu 12º torneio internacional consecutivo, tudo desde o Euro-2000.

Será a oitava etapa da Copa do Mundo, com as semifinais de 1966 e 2006 como seus melhores resultados.

Para Cristiano Ronaldo seria também a oportunidade de se juntar ao restrito grupo de jogadores que disputou cinco Mundiais.

Em Cardiff, com dois gols do craque Gareth Bale, o País de Gales teve a chance de jogar a final das eliminatórias da Copa do Mundo depois de vencer a Áustria por 2 a 1.

Fortemente criticado em Madri por suas lesões contínuas e sua suposta falta de envolvimento, Bale não quis avaliar o que está sendo dito sobre ele na capital espanhola: “É uma perda de tempo. É nojento e eles deveriam se envergonhar”. Ele se declarou após o jogo para o canal Sky Sports.

– Fardo duplo –

Bale comemorou seus dois grandes gols (um em cada tempo) com muita alegria, acertando o escudo do seu país com força: “Não foi uma mensagem para ninguém”, respondeu quando perguntado se queria dizer algo à imprensa e ao Real Madrid fãs. .

Apesar dos gols de Bale, o País de Gales ainda não está classificado e terá que esperar vários meses para saber se vai para a Copa do Mundo, já que a outra partida da faixa A dos playoffs, que era enfrentar a Escócia com a Ucrânia, foi adiada para junho como resultado da invasão russa.

Se bem-sucedida, seria a segunda participação do País de Gales na Copa do Mundo, que só disputou o Mundial na Suécia-1958, onde a seleção britânica chegou às quartas de final.

O outro jogo disputado nesta quinta-feira foi para a prorrogação. Suécia e República Checa empataram a zero no final dos 90 minutos regulamentares e no prolongamento os escandinavos conseguiram a vitória com um golo de Robin Quaison (110).

Os suecos vão disputar a passagem para o Catar na próxima terça-feira na Polônia, que se classificou diretamente para a final após a decisão da Fifa de excluir a Rússia da invasão da Ucrânia.

As três equipas que vencerem estes “play-offs” juntar-se-ão às outras 10 equipas europeias que já conquistaram o bilhete diretamente, terminando em primeiro lugar nos respetivos grupos de qualificação: Dinamarca, Alemanha, França, Bélgica, Croácia, Espanha, Sérvia, Inglaterra, Suíça e, Holanda.

afp-mcd/dam

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.