Haaland pune Dortmund, Juventus e Chelsea em perigo

Juve à beira do abismo

Superada pela qualidade das estrelas do PSG (1-2) na estreia, a “velha” foi desta vez dominada pela inveja do Benfica. Os portugueses voltaram à igualdade pouco antes do pênalti de João Mário (44º), após a abertura do placar rápido de Arkadiusz Milik (4º), depois, logicamente, levou vantagem no segundo tempo graças a David Neres (55º).

A Juve, no entanto, abriu o placar rapidamente com uma cabeçada de Arkadiusz Milik em uma cobrança de falta de Leandro Paredes (4º), concretizando um início dinâmico.

Mas os bianconeri voltaram a mergulhar no mau hábito da “montanha russa”, lamentada antes da partida pelo capitão Leonardo Bonucci.

Não conseguiram manter a mesma pressão e deixaram o português – doze vitórias em doze partidas desde o início da temporada – a tornar-se cada vez mais perigoso.

Mattia Perin, ainda na baliza na ausência de Wojciech Szczesny, não tremeu com um cabeceamento de Gonçalo Ramos (27º) e foi defendido pelo poste com um remate de Rafa Silva (39º).

Mas a Juve acabou cedendo de pênalti, sofrido por Fabio Miretti, e transformado sob a barra por João Mario (44º), ex-jogador da Inter de Milão que não hesitou em colocar o tifosi de Turim, recebendo uma advertência pelo caminho.

A Juve mergulhou de vez no início do segundo tempo, com um gol assinado por David Neres (55º), após uma ação confusa em uma defesa italiana derrotada no confronto.

Alexander Bah (60º), Rafa Silva (63º) e Neres (68º) estiveram mesmo prestes a transformar a noite em castigo.

A Juve, com o regresso de Di Maria (58º) lançado por Allegri, finalmente reagiu: Moise Kean encontrou o poste (71º), o golo de Dusan Vlahović foi anulado por fora-de-jogo (83º) e Bremer falhou o imperdível (86º). Mas tudo isso foi tarde demais, como uma temporada que a Juve ainda não começou.

Manchester City derruba Dortmund, Real garante

Muito amordaçado e depois de encontrar o poste, Erling Haaland acabou derrotando seu ex-clube, o Dortmund, para oferecer uma vitória arrebatadora (2-1) ao Manchester City, quarta-feira, durante a segunda jornada da Liga dos Campeões no grupo G.

Durante muito tempo acreditou-se que a armadilha amarela e preta anti-Haaland iria funcionar, mas a seis minutos do final, o norueguês voou a seis metros para catapultar acrobaticamente a bola para o fundo das redes num cruzamento de João Cancelo e registar o seu 13º golo em 8 partidas nesta temporada (2-1, 84º).

Ele puxou sua equipe, mais uma vez, de um passo muito ruim, depois de, por exemplo, marcar um hat-trick contra o Crystal Palace (4-2), enquanto sua equipe estava perdendo por 2-0.

E o Dortmund pode sair com arrependimentos depois de liderar por 1 a 0 e conter seu ex-atacante por um longo tempo.

Pep Guardiola, quinto treinador a atingir a fasquia dos 150 jogos no C1, havia sido questionado antes da partida sobre a vantagem que poderia representar para os alemães conhecendo bem Erling Haaland, jogador do Borussia há dois anos e meio.

De volta do vestiário, foram os alemães que começaram da melhor maneira, sob o impulso de Marco Reus, que errou o alvo por pouco (52º) antes de cruzar perto do poste para Jude Bellingham, que surpreendeu Ederson. ao seu poste distante (0-1, 56º).

Guardiola então dispensou Riyad Mahrez, Jack Grealish e Ilkay Gündogan, substituídos por Julian Alvarez, Phil Foden e Bernardo Silva – uma mudança planejada antes do gol – e com o Dortmund procurando manter sua escassa vantagem, o resto foi um longo exercício ataque-defesa.

Mas o City não está invicto em casa na Liga dos Campeões há quase quatro anos e uma visita do Lyon (1-2) para nada.

Demorou até os 80 minutos e um flash de pé esquerdo de John Stones a 22 jardas para ver o City voltar a 1-1 antes que a mágica de Haaland acontecesse.

Duas partidas, dois gols: graças a Fede Valverde, decisivo no final da partida, o Real Madrid conquistou na quarta-feira a vitória por 2 a 0 em casa sobre o Leipzig pela segunda rodada da Liga dos Campeões, um golpe perfeito antes do dérbi contra o o Atlético no domingo em La Liga.

Karim Benzema continua lesionado, mas o Real encontrou um novo herói para mimar: o uruguaio Fede Valverde, já autor de um feito pessoal que incendiou a internet no domingo contra o Mallorca em La Liga, mais uma vez entregou o Real com um rol de a esquerda aos 80, antes de Marco Asensio selar o sucesso de uma recuperação sem cruzamento de uma falta aos 90 +1.

A derrota é suficiente para enfurecer os alemães: uma semana após o tapa recebido em casa contra o Shakhtar Donetsk (4-1) no início da Liga dos Campeões e quatro dias após a vitória convincente por 3-0 sobre o Dortmund no campeonato, o Christopher Os companheiros de equipa de Nkunku há muito preocupam os campeões europeus em casa, no Santiago-Bernabéu, antes de cederem na final.

As melhores chances da partida também levam o selo de Nkunku: o atacante francês alertou Thibaut Courtois aos 5 minutos, depois desviou uma bola criteriosa para Timo Werner na volta do vestiário (50º), que finalizou fora do alvo.

Nkunku quase abriu o placar aos 34 minutos, mas foi um pouco curto demais para empurrar o desconto de Werner que estava rolando na frente da linha.

Frio e metódico, o atual campeão espanhol e europeu abordou sua semana decisiva com perfeição com um primeiro sucesso na Liga dos Campeões, antes de um dérbi que promete ser fervente no domingo (21h00) em La Liga no campo do Atlético , derrotado na véspera por 2-0 em Leverkusen.

Potter começa com empate com Chelsea, Napoli na festa

O Chelsea empatou 1 x 1 com o Salzburg nesta quarta-feira, em Stamford Bridge, pela Liga dos Campeões, na estreia do novo técnico Graham Potter, que foi nomeado para substituir Thomas Tuchel na semana passada.

Mais um passo em falso para os “blues” no Grupo E após a derrota inaugural frente ao Dínamo Zagreb (1-0) na passada quarta-feira. Este revés levou à demissão do alemão Thomas Tuchel e à chegada de Potter de Brighton.

Os torcedores do Chelsea também prestaram homenagem ao seu ex-técnico aplaudindo-o aos 21 minutos da partida, em memória do ano de 2021, quando os Blues venceram a Liga dos Campeões sob sua liderança.

Após um primeiro período estéril, Raheem Sterling abriu o placar após o intervalo (48º), mas Noah Okafor empatou as duas equipes (75º). O jovem atacante suíço já havia marcado na semana passada na partida contra o outro favorito do grupo, o AC Milan (1-1).

Os italianos, vencedores do Dínamo Zagreb em San Siro (3-1), lideram à frente dos croatas (2º) e do Salzburgo (3º), enquanto o Chelsea continua em último lugar com um ponto.

O adiamento de 24 horas do jogo, devido a restrições logísticas ligadas à morte da rainha Elizabeth II, não abalou o Napoli. Os italianos venceram facilmente o Glasgow Rangers (3-0), que terminou a partida aos dez após a exclusão de James Sands (55º). Os napolitanos, líderes da Serie A, continuam assim o seu bom momento depois de corrigir o Liverpool (4-1).

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.