Governo reverte no novo aeroporto de Lisboa

Menos de 24 horas depois de anunciar a intenção de construir um novo aeroporto complementar em Lisboa, o governo português, criticado pela oposição e ambientalistas, regressou na quinta-feira e disse querer optar por um “solução negociadaO Primeiro-Ministro António Costa pediu ao seu Ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, que “cancelamentoo decreto publicado na véspera sobre os projectos de desenvolvimento da capacidade aeroportuária da região de Lisboa apontava para o gabinete do chefe do governo socialista.

O senhor Costa quer um “decisão nacional“sobre este assunto que deve”negociado e em consulta com a oposição“, soubemos da mesma fonte. Um decreto publicado no dia anterior pela Secretaria de Estado das Infraestruturas anunciava a intenção do governo de construir um segundo aeroporto complementar, localizado na margem sul do estuário do Tejo, para reduzir a saturação das atuais infraestruturas portuguesas capital.

De acordo com este decreto, o executivo prevê também começar a planear a construção de um futuro aeroporto único em Alcochete, também na margem sul do Tejo, que poderá servir a região de Lisboa a longo prazo. †Há anos que o país fala de aeroportos. Está demorando muito. A decisão está tomada. Nós continuamos“, argumentou o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, em entrevista à televisão pública RTP na noite de quarta-feira.

O anúncio surpreendeu partidos da oposição e grupos ambientalistas, pois o primeiro-ministro disse na semana passada que o novo líder da oposição de centro-direita seria consultado antes que uma decisão fosse tomada. †Esta é uma solução precipitada sem uma avaliação ambiental estratégica real“Respondeu num comunicado de imprensa conjunto das principais organizações de proteção ambiental que operam em Portugal.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.