Futebolistas afegãos refugiam-se em Portugal onde puderam voltar a jogar

Em Lisboa, jogadores da seleção do Afeganistão encontraram refúgio para continuar jogando. Narrativa.

Forçadas a fugir do Afeganistão depois que o Talibã chegou ao poder, as jogadoras da seleção feminina de futebol foram recebidas com suas famílias em Portugal, onde puderam treinar novamente esta semana em um estádio nos subúrbios de Lisboa. “Eu não posso acreditar nisso. Estou muito feliz por poder voltar a jogar futebol!“Ainda sem fôlego Omul Banin Ramzi, jogadora da seleção feminina de juniores, disse à AFP após o primeiro treino na quinta-feira em um estádio em Odivelas, nos subúrbios do norte de Lisboa. “A situação no Afeganistão era muito difícil (…) Estou muito feliz por estar em Portugal, o país de Cristiano Ronaldoexclama a jovem de sorriso largo, com a camisola vermelha e uma bandana preta à volta da cabeça, acrescentando que sonha em conhecer a estrela do futebol português.

VEJA TAMBÉM – Quando o Camp Nou homenageou os melhores jogadores do ano

Ao seu lado, seu pai a segue orgulhosamente com seu olhar. Tal como ele, os restantes familiares dos jogadores puderam assistir a este primeiro treino durante seis meses, sentados no relvado num canto do estádio. Os jogadores e suas famílias chegaram a Portugal no dia 19 de setembro como parte de um grupo de 80 refugiados afegãos. Estão atualmente alojados temporariamente em unidades hoteleiras da Grande Lisboa. No dia anterior, os jovens atletas reuniram-se com o seu capitão Farkhunda Muhtaj, que viajou do Canadá para lhes trazer material desportivo, orientá-los nas primeiras sessões e prepará-los para o próximo amigável de sábado, frente à equipa feminina do Benfica. . “Ainda há muito trabalho“, explica a capitã de 23 anos à AFP, que terá de se juntar ao Canadá nos próximos dias, mas espera que a equipa possa continuar a treinar regularmente.

A saída do Afeganistão de Omul e seus companheiros não foi fácil. Os jogadores tentaram fugir do país em várias ocasiões a partir de meados de agosto, mas sua saída só foi possível “graças a uma operação conjunta em que as autoridades americanas e portuguesas participaram“, tinha indicado o governo português num comunicado de imprensa. Desde seu retorno ao poder no Afeganistão em 15 de agosto, o Talibã sugeriu que as mulheres pudessem praticar um esporte, mas sob certas condições estritas, em particular aquelas de não serem vistas pelo público. Quando chegou ao poder entre 1996 e 2001, o movimento islâmico proibiu as mulheres de praticar esportes ou assistir a jogos. Várias dezenas de milhares de afegãos fugiram do país desde o retorno ao poder do movimento islâmico por medo de represálias ou repressão.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.