escolas e hospitais paralisados ​​por greve

O funcionamento de escolas, hospitais ou recolha de lixo foi interrompido na sexta-feira em Portugal por um dia de greve nacional de funcionários públicos exigindo salários mais altos e melhor poder de compra.

Os oficiais”estão prestes a entrar no décimo terceiro ano sem aumentos salariais“, explica à mídia local Sebastião Santana, coordenador da Frente Comum dos sindicatos da administração pública. As atualizações salariais com base na inflação não permitiram “recuperar o poder de compra perdido“, ele adicionou.

O movimento grevista, que começou durante a noite de quinta para sexta-feira, afetou hospitais e serviços de recolha de lixo, sobretudo na região de Lisboa nas primeiras horas do dia, segundo os sindicatos. Esta greve ocorre no contexto de uma crise política após a rejeição da lei das finanças para 2022 pelo governo socialista de Antonio Costa, derrubada por seus ex-aliados da esquerda radical.

Os portugueses serão chamados às urnas a 30 de janeiro de 2022 para eleições legislativas antecipadas. “Devemos enviar um sinal claro antes do próximo orçamento do Estado“, afirmou o dirigente sindical, considerando que”mesmo sem orçamento do Estado para 2022, há um conjunto de temas que podem ser tratados agoraporque dependem do orçamento atual.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *