Com sede em Lyon, o canal de televisão Euronews volta a ser europeu: é comprado pela portuguesa Alpac Capital

O canal de TV, de propriedade de um bilionário egípcio, continua que a Euronews está mudando sua governança e se preparando para uma mudança de acionista majoritário. O fundo de investimento Alpac Capital assinou na sexta-feira, 17 de dezembro, um compromisso de comprar os títulos de seu atual proprietário, Naguib Sawiris. Euronews recupera crescimento e acionistas europeus.

Estaria o período difícil agora para trás? Depois de iniciar grandes planos de reestruturação nos últimos anos e graças ao crescimento significativo das receitas, a Euronews, com sede em Lyon-Confluence, está à beira de uma transição econômica bem-sucedida enfraquecida pela pandemia.

É neste contexto que o Grupo decidiu alterar a sua governação “para reforçar a sua capacidade de atingir o seu objetivo principal: o regresso ao equilíbrio até 2023”, explica a gestão.

Segundo a mesma administração, uma mudança de acionista majoritário poderá ocorrer em 2022. Com a aquisição pela Alpac Capital, o capital da Euronews voltaria a ser europeu, como era no início.

Esta empresa celebrou um acordo de compra com a MGN, atual acionista de 88% da Euronews, para adquirir a totalidade das ações que a MGN detém na empresa.

Uma promessa de compra

A Alpac Capital é um fundo de investimento sediado em Portugal, detido por Pedro Vargas David e Luis Santos.

Europeu convicto, tendo vivido em Lisboa, Paris e Bruxelas, Pedro Vargas deu à David Alpac Capital uma missão decididamente europeia para o tornar um parceiro de referência para quem pretende investir no continente. “Reconhecendo o DNA europeu único da Euronews e a relevância de seus objetivos e potencial existente, a Alpac Capital está comprometida em apoiar o atual plano de negócios do Grupo e investir fortemente para garantir seu desenvolvimento, em particular sua transformação digital, explicaram seus líderes.

Esta situação foi possível pelo facto de a Euronews ter registado um aumento do lucro operacional de quase 20% este ano em relação ao orçamento anterior.

A actividade de diversificação (franquias e parcerias) quadruplicou num ano: contribuiu largamente para este regresso ao crescimento, bem como o aumento significativo das receitas publicitárias (+43%) e sobretudo as digitais (+67%), a superar as metas do ano.

“Os esforços do Grupo e dos seus colaboradores através dos dois planos de reestruturação nos últimos anos também estão a dar frutos”, disse a direcção da Euronews.

Uma das forças motrizes desta evolução positiva é a transformação digital: o consumo de conteúdos digitais da Euronews está a crescer fortemente em todas as edições linguísticas e o recente lançamento de novos temas (Euronews Travel, Green, Next e Culture) “tem a audiência de Euronews. Os temas representam agora a primeira edição da mídia em termos de audiência.”

Euronews muda o seu conselho

É neste contexto que o Grupo decidiu alterar o seu governo, com a criação de um conselho de administração em vez do conselho fiscal. Michael Peters, presidente do comitê executivo da empresa desde 2011, é nomeado presidente do conselho de administração.

É ele quem, como Presidente do Conselho de Administração, assegurará as relações com os principais parceiros estratégicos históricos da Empresa, como as instituições europeias e os acionistas públicos.

Michael Peters ingressou na Euronews em 1997 como Diretor Financeiro e depois subiu gradualmente na hierarquia da empresa até se tornar Diretor Executivo em 2005 e depois Presidente do Conselho em 2011.

Nestes 23 anos, sob o impulso de Michael Peters, a Euronews passou de um meio quase exclusivamente detido por accionistas públicos, com audiência garantida, para um meio multiplataforma e multilingue inovador, agora assente num modelo económico de comércio. Apesar da pandemia, quem finalmente conseguiu manter o rumo com tempo pesado…

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.