Buscas e prisão em Portugal na investigação da naturalização de Abramovich

A justiça portuguesa anunciou sexta-feira à noite ter feito várias buscas e detido o rabino da comunidade portuense no âmbito de uma investigação sobre a naturalização de descendentes de judeus de que beneficiou o bilionário russo Roman Abramovich, proprietário do Chelsea.

A investigação diz respeito a fatos susceptíveis de constituir os crimes de tráfico de influência, corrupção activa, falsificação de documentos, branqueamento de capitais ou mesmo evasão fiscal., diz um comunicado de imprensa do ministério público. Daniel Litvak, rabino-chefe do Porto, foi preso no Porto na quinta-feira quando estava prestes a retornar a Israel, segundo a mídia local.

Suspeitas de certificados falsos

Ele deve ser apresentado no sábado a um juiz que decidirá sobre as medidas de controle judicial que serão aplicadas a ele. A justiça portuguesa havia aberto uma investigação em janeiro passado sobre o processo de naturalização de Roman Abramovich, que obteve a nacionalidade em abril de 2021. O bilionário russo havia se beneficiado de uma lei que permitia a todos os descendentes de judeus sefarditas, perseguidos e expulsos até o final do século XV Nacionalidade portuguesa.

Ao abrigo desta lei, as comunidades judaicas do Porto ou de Lisboa devem fornecer um certificado que ateste a ascendência judaica. Autoridades destas comunidades são suspeitas de terem emitido certidões falsas sobre a ascendência judaica de vários candidatos, indica em nota de imprensa a comunidade israelita do Porto que refuta estas acusações.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *