Bruno Fernandes critica o Qatar

A menos de uma semana do início do Mundial (20 de novembro a 18 de dezembro), Christian Eriksen e Bruno Fernandes fizeram duras críticas ao Qatar, ainda que o dinamarquês não queira esquecer a vertente desportiva da competição.

Depois da vitória do Manchester United sobre o Fulham (2-1), Bruno Fernandes e Christian Eriksen fizeram-se ouvir. Embora os dois jogadores sejam esperados com Portugal e Dinamarca, eles criticaram fortemente a organização da competição.

“Temos visto o que aconteceu nas últimas semanas e meses e as pessoas que morreram durante a construção dos estádios. Não estamos felizes com isso”, disse Bruno Fernandes ao microfone do Sky Sports. Queremos que o futebol seja para todos e que todos se envolvam e participem da Copa do Mundo. É a Copa do Mundo, é para todos. Eu não acho que tal coisa deveria acontecer. Mas uma Copa do Mundo é mais do que futebol, é uma celebração para torcedores e jogadores e uma alegria de assistir. Isso tem que ser feito de uma maneira melhor.”

>> Acompanhe todas as novidades da Copa ao vivo

Os críticos estão em ascensão

Christian Eriksen, por sua vez, partilha da opinião do companheiro de equipa, ainda que não devamos esquecer a vertente desportiva. “Trabalhei muito para a Copa do Mundo e estou ansioso por isso. Tem se falado muito sobre isso. Não importa onde seja, é futebol. Nós nos classificamos e vamos apenas jogar futebol. Concordo com Bruno. Há muito foco em como foi a Copa do Mundo e por que é no Catar. Somos jogadores de futebol, a política está acima de nós para tomar essa decisão. Tentamos dizer o que temos a dizer e fazer o que pudermos. Queremos nos concentrar neste assunto, mas a mudança deve vir de outro lugar.”

Com o início da competição, as críticas ao Catar crescem a cada dia. Philipp Lahm, Jorge Sampaoli ou a seleção australiana… Todos levantaram a voz contra o país-sede da 22ª Copa do Mundo. Há poucos dias, o comitê organizador da Copa do Mundo respondeu às críticas aos direitos humanos no emirado, explicando em particular que “nenhum país é perfeito”.

Alberta Gonçalves

"Leitor. Praticante de álcool. Defensor do Twitter premiado. Pioneiro certificado do bacon. Aspirante a aficionado da TV. Ninja zumbi."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *