Ataques russos na região de Zaporizhia na véspera do Dia Nacional

Funeral de Daria Duguina aconteceu em Moscou na terça-feira

Centenas de pessoas se reuniram na terça-feira em Moscou para o funeral de Daria Dougina, filha de um ideólogo ultranacionalista, apoiando a ofensiva na Ucrânia morta na explosão de seu carro, um ataque que Moscou atribui a Kyiv.

Daria Douguina foi morta na noite de sábado na explosão do veículo que dirigia em uma estrada perto de Moscou. Ela tinha 29 anos. Jornalista e cientista política, era filha de Alexandre Douguine, ideólogo e escritor ultranacionalista que promove uma doutrina imperialista. Como seu pai, ela era uma defensora feroz da ofensiva russa na Ucrânia.

Na terça-feira, centenas de pessoas, incluindo parentes e políticos, reuniram-se em frente ao caixão de Daria Douguina, sobre o qual foi pendurado um retrato dela, observou a AFP. “Ela morreu na frente pela nação, pela Rússia. A testa está aqui”disse o Sr. Douguine com voz trêmula, seus olhos escurecidos.

Menos de quarenta e oito horas após a morte de Daria Dugina, os serviços de segurança russos (FSB) disseram na segunda-feira que concluíram que o ataque havia sido preparado e realizado pelos serviços de inteligência ucranianos. Kyiv negou qualquer envolvimento.

Em mensagem de condolências, o Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, denunciou uma “crime desprezível e cruel”quem tem “encerrou prematuramente a vida de Daria Duguina, uma pessoa brilhante e talentosa com um coração verdadeiramente russo”. O Sr. Putin também lhe concedeu, postumamente, a Ordem da Coragem.

Promotor do eurasismo, doutrina imperialista que defende uma aliança entre Europa e Ásia, sob liderança russa, Alexander Dougin é alvo, desde 2014, de sanções da União Europeia. Personalidade da mídia e poliglota, ele é influente em parte da extrema direita europeia. Apelidado por alguns meios de comunicação “Cérebro de Putin”, o Sr. Dougin às vezes é apresentado como próximo ao presidente russo. Mas este nunca o apoiou publicamente e muitos observadores colocam em perspectiva sua influência no Kremlin.

Nicole Leitão

"Aficionado por viagens. Nerd da Internet. Estudante profissional. Comunicador. Amante de café. Organizador freelance. Aficionado orgulhoso de bacon."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *