Anulação de milhares de votos no legislativo atrasa a tomada de posse do governo em Portugal

A decisão do Tribunal Constitucional de invalidar cerca de 157 mil votos de portugueses residentes no estrangeiro na Europa nas eleições legislativas antecipadas de 30 de janeiro, que terão de voltar a votar, vai atrasar a tomada de posse do novo governo socialista, disse o primeiro-ministro.

O Tribunal Constitucional decidiu por unanimidade declarar “nula a eleição nas assembleias de voto do círculo eleitoral europeu”, que elegem dois dos quatro deputados do estrangeiro, exigindo também “a repetição dos actos eleitorais”, segundo uma decisão publicada no seu site .

De acordo com os resultados oficiais das eleições do passado dia 30 de Janeiro, antes da decisão do Tribunal Constitucional, o Partido Socialista de António Costa obteve a maioria absoluta, com 41,50% dos votos, ou seja, 119 lugares dos 230 que parlamento.

Após a contagem dos votos dos círculos eleitorais no exterior, o Partido Socialista passou de 117 para 119 cadeiras e o Partido Social Democrata (PSD), formação política de centro-direita e principal partido da oposição, também conquistou dois deputados.

Portanto, a decisão do Tribunal Constitucional não mudará o novo equilíbrio de poder na Assembleia.

O Tribunal Constitucional tomou esta decisão na sequência de um recurso interposto pelo PSD contra a validade dos boletins de voto enviados por correio não acompanhados de cópia do documento de identidade do eleitor, conforme exigido por lei.

lf/bcr/emp/mab/zm

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.