4-2. Portugal não tem limites | Esportes

Redação Desportiva, 06 Fev (EFE)- Tal como na semifinal frente à Espanha, com uma determinação indiscutível, irredutível a qualquer adversário, Portugal conseguiu, mais uma vez, superar uma derrota por 0-2 num jogo de tensão e dimensão de um Europeu final para voltar, vencer, conquistar o segundo título continental consecutivo e destacar quem é o dominador do futsal no planeta, com um ciclo impressionante que inclui também a coroa mundial.

Um time tremendo, embora Ricardinho não jogue mais nele, com o qual a Rússia também não conseguiu, nem com dois gols a favor nem com uma esplêndida sequência de onze vitórias consecutivas nesta temporada, até cruzar com os melhores do mundo no hoje, que se sentiu nas cordas, como outras vezes, exigido por um 0-2 em 12 minutos.

Primeiro Sokolov, no minuto 9, beneficiou de um erro de André Sousa, e depois Afanasayev, no minuto 12, propôs um roteiro muito diferente para o resultado do Euro 2022; um que apresentou a Rússia como campeã 23 anos depois e derrubou Portugal, que, hoje, é indestrutível. Não há melhores exemplos do que as duas últimas partidas do torneio para dar conta da capacidade do grupo liderado por Jorge Braz.

Contra a Espanha, ele voltou. O 1-2 foi antes do intervalo, por Tomás Paço. E o 2-2 em 27, de André Coelho. Em ambas o goleiro russo não foi bem sucedido, superado, ainda mais quando André Coelho voltou a conquistar o 3-2 aos 32. A Rússia tentou com o jogo de cinco, ele teve suas chances… E ele perdeu. O 4-2, já a um segundo do final, foi transformado por Pany Varela sem oposição na baliza contrária. Portugal domina o mundo.

– Ficha de dados:

4 – Portugal: André Sousa, Erick, João Matos, Bruno Coelho, Pany Varela -cinco inicial-; André Coelho, Tomás Paço, Afonso Jesus, Fábio Cecílio, Zicky, Miguel Ângelo, Tiago Brito e Pauleta.

2 – Rússia: Putilov, Antoshkin, Chishkala, Davydov, Afanasyev -cinco inicial-; Milovanov, Abramov, Niyazov, Abramovich, Sokolov, Paulinho e Nando.

Gols: 0-1, m. 9: Sokolov. 0-2, m. 12: Afanasayev. 1-2, m. 18: Tomás Paço. 2-2, m. 27: André Coelho. 3-2, m. 32: André Coelho. 4-2, m. 40: Pany Varela.

Árbitros: Juan José Cordero Gallardo (Espanha) e Alejandro Martínez Flores (Espanha). Eles advertiram os russos Sokolov e Afanasyev, e o português Tomás Paço.

Incidentes: final da Eurocopa 2022 na Holanda disputada no Ziggo Dome em Amsterdã diante de 1.250 espectadores.

Chico Braga

"Web enthusiast. Communicator. Annoyingly humble beer ninja. Typical social media evangelist. alcohol aficionado"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *